terça-feira, 22 de dezembro de 2009

cento e vinte e dois

Vivi um encontro imediato do 3º grau, não com aliens, mas com uma familia alien bem tuga constituida por pai, mãe e filha menor. Pai agente da autoridade, mãe não sei bem o quê e filha estudante num ano qualquer. A conversa... mhhh.... antes discussão, iniciou-se com as hostilidades do costume: deus versus a não existência dele próprio, a liberdade de escolha e tal e coiso. Ao argumento do ovo e da galinha eu, confesso e vergasto-me, não soube responder. Tal incúria foi-me logo apontada como o exemplo máximo divino de que tudo foi criado por alguém e que só isso prova que deus existe. Perplexo, pois nunca pensei no big bang como clara e ovo, mantive-me hirto. Por uns momentos, poucos segundos, encostei o chefe de família bastante pensativo: a questão tinha a ver com a possibilidade de Eva ter nascido de Adão o que, a meu ver, faz dela filha dele com costela e tudo. O ADN comprovaria-o se o CSI existisse na altura mas como não vivemos num mundo perfeito ainda reforcei a situação com o facto não muito eclesiástico de que Adão e Eva teriam cometido adultério para povoar o mundo, visto serem os únicos habitantes deste planeta ao universo plantado.
O que fui fazer... impropérios, suores frios, desorientação espacial, tudo vi numa face que virou demoníaca. Isso fez com que lhe apontasse um demo interior o que, confesso, não foi a melhor continuação.
Depressa se passou para os gays e o seu casamento. De nada me serviu dizer-lhe frases feitas como "a minha liberdade acaba onde começa a de outrém" e anormalidades do género. A cada uma que proferia, pensando sempre nos exemplos históricos helénicos e românicos para citar os mais kitch, via crescer um ódio nazi que foi, inclusivé e não estou a brincar, reforçado com a frase "o Hitler é que tinha razão".
Sei que muitos teriam abandonado a questão e o local, mas... raios me partam, adoro (vivo) com uma situação destas, ou seja, a possibilidade de ser forcado à frente de um boi (única hipótese de olhar para uma tourada e pedindo-vos que a leiam como analogia) e chamar o bicho, a sua raiva e a sua... como se diz... investida.
E tal aconteceu!
Não vou repetir o que o homem disse em relação aos gays (a que juntou prostitutas, travestis, chulos e demais) pois até eu fiquei ruborizado. Mas uma coisa vos garanto: em pleno séc XXI e a poucos dias da sua segunda década, é-me complicado entender estas mentes tementes e prostradas a um deus católico e que admitem e proclamam a matança a todos os que não sejam, a seus olhos, normais.
Sem querer maçar-vos com mais pormenores, apenas exponho a última questão. Perguntei-lhe se, caso a sua filha menor sentisse que a sua vida, paixão e amor passasse pela homossexualidade, o que faria ele nessa situação. A resposta foi rápida e directa: "a minha filha??? NUNCA! E ISSO NÃO VAI ACONTECER! NUNCA! ERA O QUE FALTAVA!"


tadicho... falta-lhe bem mais do que um bocadinho assim.

11 comentários:

Reflexos disse...

... pela boca morre o peixe, diz o povo

maria teresa disse...

A iliteracia impera no nosso país (mas não só!)e é pena que a Igreja que tem um enorme poder sobre a cultura das "gentes", não ajude a descodificar as metáforas usadas na Bíblia.
Confundem-me os pais que não põem a realização pessoal dos filhos à frente das suas convições e já vi muitos a dizerem " o meu filho não" (droga, sexo,...) e eu a ter a certeza que não era assim.
Estamos com "ontem" em muitos assuntos, se é que não regredimos...
Abracinho

Mnemósine disse...

É triste.
E pensam tanto nisso que se esquecem daquilo que lhes devia ser mais importante "amarás o próximo", o mandamento não continua, não tem alíneas nem excepções.
Estou perfeitamente à vontade para falar do assunto porque não sou "temente" (como se ajusta esta palavra!) a Deus mas respeito aqueles que acreditam - mas acrescento uma alínea: desde que não sejam idiotas). ups, heresia.

Pjsoueu disse...

Natal.Desejo que haja um nascimento de felicidade em cada minuto da tua vida:) Beijinhos

Pj

Quase nos 50 disse...

Ora viva
Bem pegar o touro pelos cornos (expressão bem portuguesa) pode ser um óptimo exercício argumentativo mas ......apenas com pessoas com um QI normal.
Com deficientes mentais não dá luta e então se são agentes da autoridade (?) tipo matarruano, o que devia ser o caso, fuja enquanto é tempo!
;-))))))))))))))))))))))
Adorei o txt e vi-me a imaginar a cena desse filme!
Pessoas com mentes básicas são assim: vivem amarguradas com a realidade......
Amigo um bom 2010 com saúde e continue que eu sou fã
Beijos de amizade

volteface.book disse...

Reflexos, esta gente aguenta-se melhor que nós...

volteface.book disse...

Maria Teresa... a falta que fazem aqueles 50 anos, não é? Mas, confesso, acho que mesmo sem esse atraso seríamos como somos. Burro velho não muda.

volteface.book disse...

Mnemósine, pois. Mas o problema é que não estamos sózinhos.

volteface.book disse...

Pj, um abraço e bom ano novo.

volteface.book disse...

Quase nos 50, eu é que agradeço as visitas e os excelentes comentários. Um beijo e que este seja um belíssimo ano para todos nós.

VirtualFM disse...

A minha grande pergunta é: como raio é que foste tu passar uma tarde bem passada com tais espécimes! :-)

Falando sério... quer dizer que aquela campanha "Se a tua mãe fosse lésbica mudava alguma coisa?" não funciona nalgumas pessoas, certo? Pelo menos não se pode esperar que funcione de um momento para o outro.